sábado, 15 de abril de 2017

Há momentos em nossa vida...



Há momentos na nossa VIDA...
Tão PLENOS tão SERENOS
Que você vê o quanto é PEQUENO
Importar pra você coisas PEQUENAS 
Há outros momentos na Vida tão COMPLETOS SATISFATÓRIOS 
e tão POÉTICOS
Que você vê como as pequenas coisas da Vida
podem ser GRANDES POESIAS
CÁ-PAZ alimenta um instinto FAMÉLICO
Ávida eu e a Vida 
Nos revezamos corpo à corpo
Ela me dá pão e guarida pra que o corpo não esteja morto
E eu continuo sempre com fome buscando 
alimentar o espirito absorto
Pois como está escrito 
“Nem só de pão viverá o Homem”.
><
Lindo Sábado em Cântico de Aleluia!

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Sobre a banheira






Sobre a banheira...

Esqueci d'me lembrar...
Que não posso me esquecer
quando olhar em teu olhar
preciso eu sempre me ver

O bom senso diz p'ra eu viver...
Cantarolar p'ra eu mesma qualquer hit
ouvir meu próprio coração bater
sem marcar passos, pois a vida é um bit

Una unidade que pulsa em todo canto
amando "dele"o coração pulsante
amando do meu jeito e tudo que planto
repouso em ti num voo rasante...

Num despertar dos sentimentos
num desespero esquisito incólume
faço dos instintos bons pressentimentos
ouvindo aquela melodia cantar teu nome

Voo pra te cantar e dançarmos nus pelos campos
tomar banho d'bruma ao serenar da noite
enfeitiçar-te num passo de magia pelos cantos
ajudar o complô do universo dizer-te

Amo-te sem tempo no futuro do presente
desnudarei tua alma à minha maneira
beber-te-ei em cada bolha do vinho espumante...
Presente no cálice e na espuma da banheira.


Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Algo Além


Seu Tempo


Desejo Perfeito


No Olhar do Meu Amado



No olhar do meu amado oculto...
há um cântico de mistério
Tem a cor e o doce do caramelo
o belo da gema cru do âmbar
possui um elo com paraíso 
sei quê ou sei lá...
No olhar do meu amado
há flor de avelã mutante
Um côncavo contornado 
num fundo dourado um diamante
Em cada pupila um doce favo de mel
Cintilantes leio seu elã em poemas 
do tamanho do céu escrito à mar
No olhar do meu amado oculto...
O segredo adjunto é tântrico
Um beijo no olhar mais romântico.

Son Dos Poemas

Poesia Pra Você


segunda-feira, 20 de março de 2017

Minha Fonte Côncava




Minha Fonte Côncava

Escorre a palavra pelo canto da boca
Canta a voz côncava em convexa rouca
Nada poderá calar nem dizer proibido
Beber na fonte dos olhos gemer no ouvido

Nenhuma palavra jorrará da fonte
Nem brilho nem martírio doravante
Ausente serei flor decorada n'm cântaro
Estarei voando no céu azul feito pássaro

Qual uma gralha celeste d'alvorada
Emudecida calada d'asa alada
Em tua madrugada me farei beijada

Serei tua chuva de rima molhada
Louca amada amante desvairada
Fonte dos desejos d'águas aguada...

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

Amor Maduro



Amor maduro

Amor maduro
É existir sempre em matéria...
Matéria que devora os sentidos...
Transforma em desejos carnais...
Os sentimentos de amor mais bonitos.
Oriundos não se sabem de onde.
Quando de emoção é tomado...
O seu eu apaixonado ao ler um poema...
Que lhe foi dedicado.
Mesmo que seu nome não seja citado...
Sabendo que foi inspirado em você.
Faz-te sentir todo amor que lhe é devotado...
Uma expectativa de renascer...
Vivendo sempre em você.
Meu céu paraíso em flores...
Fazendo esquecer os amores imaginários...
E vivenciar nosso amor tão maduro...
Que se faz puro na essência de nós.
Que demonstramos sem falsos pudores...
Nossos desejos mais primitivos...
Tão aflitivos em nos amarmos.
Saboreando o momento á cada gesto imaginado...
Perdendo-se em lençóis de céus e mares...
Transcendendo o universo galáctico.
Num total desacordo com a realidade


Sonia Gonçalves 

Já Que è Pra Sonhar


Já Que É Pra Sonha

Sonho muito voo alto...
Bato asas corro o asfalto
Veloz como vento suave feito pluma
Como sonhos me embriago d’ bruma

Voo nas nuvens amo poema
Alada feito um Anjo sem problema
Já que me disseram pra sonhar...
A linguística é minha ciência elementar

Vira e mexe estou na lua toda nua
Sem lenço e sem documento sempre tua
Donzela despudorada do teu vasto elenco
Protagonista da tua inspiração foliã do vento

Não sou freira nem santa fujo de convento
Não voo ao inferno meu Anjo é ciumento
Já que posso sonhar não perco um segundo
Levo-me até você trago-te para meu mundo

Digo tudo o que penso e sinto não minto
Simplifico o bonito é logo ali no infinito
E a poesia veste seda e linho, mas é humilde...
Todo verso faz rima com som amiúde...

Já que posso sonhar refaço meu destino...
Vou me deitar no poema ceder ao meu desatino
Levar minha sombra lado á lado para caminhar...
Irei até Portugal ver a tal abrótea nadar...

Son Dos Poemas 
*SôniaMGonçalves

Seu Tempo



Seu Tempo

No último minuto do segundo tempo
O vento sussurrou um segredo
A noite traduziu o enredo
O ano novinho todo seu!
Bem que vi aquele girassol 
Mais sorridente pela manhã
Sorria para o poente 
Com hálito de hortelã
Girava para todo lado
Com encanto entre os raios dourados
Brilhando em amarelo ouro
E o verde cheio de esperança
Exalou um cheiro de Felicidade 
Me fez pensar...
Amizade rima com amor 
Senti um cheiro de flor 
De Parabéns pelo ar!!!
Parabénsssssssssssss!!!
Beijossss mil querida "Vida Longa"
Dama do Girassol!
Son Dos Poemas

Cântico D’Alma Mulher


Cântico D’Alma Mulher

Ser mulher é nascer e celebrar
É preciso ser de corpo e d’alma
Imprescindível é saber sobrepujar
Ser a seiva que embriaga e aperfuma

A bruma que clareia os sentidos
Ofertório em amor leve feito pluma
Ser mulher é ter olhos e ouvidos abertos
O tempo todo o sexto sentido que apruma

Ter n’alma pura a destreza d’uma águia
Una ave Maria fênix persistente por instinto
Reagente como o absinto em substância
Enigmática qual buque de sangue tinto...

Doce feito pimenta jalapeño mexicana
Mais ardida que sol a pino ao meio dia
Ser mulher é ter o cântico n’alma cigana
Ser romântica ser dramática ao ser poesia...

Ser mulher é ser mistério e translação
Referendar seu canto de sereia e sedução
Vestir um manto de prendas sim ou não
Amassar o pão e obter o vinho a pé e mão...

Ter à pele em flor feminina de fantasia
N’aurora toda pura ser sedutora insinuante
Mulher é mãe e também filha professora e profecia
Dona dos rituais mulher é ser magia eternamente.

Son Dos Poemas*SôniaM.Gonçalves

Verbo Mulher

Verbo Mulher

Lâminas refletoras de luz...
Mulher verbo que casa e conjuga
Gesta e ilumina o ser que produz
Paga os pecados na terra expurga

Ser mulher é sim nas nuvens padecer...
Morrer e renascer nos descendentes
Fazer da terra paraíso transeunte prazer
Vestir intuição D’luz N’alma silentes

Mulher entre mundos urbanos campestres
Saboreia o desespero busca felicidade
Constrói nos céus paraísos ancestres...
Faz d’amargor agridoce apura verdade

Ser mãe e filha da terra a fertilidade
Acolher o grão germinado no ventre
Brotar como água num grotão d’liberdade
Regar o arco-íris p’ra manter o sempre...

Ser todas as estações livres como agora...
Ser eloquência e superintendente do vento
Espalhar as vontades infindas e pranto n’aurora
Se revigora no Amor sabe o melhor provento...

O argumento é arma da mulher que ama clichê...
Anas, Helenas, Severinas, Neides ou Franciscas
Todas Nós Marias sem nome codinome p’ra quê?
Nós somos almas fêmeas flores d'nós primaveras...

Son Dos Poemas

sábado, 11 de março de 2017

Correria P'ra Me Alcançar



Correria P'ra Me Alcançar

Correria sim se eu pudesse...
Alcançar em mim o que me esquece
A juventude não fosse florisse
E toda lágrima não chorasse sorrisse...

Correria pelo sim pelo não
Um dia agora n’outro mais tarde
Um beija flor pousasse na palma da mão
Carregasse toda a solidão que me arde

Bebesse o doce mistério amorável
Derramasse nos lábios derradeiro beijo...
Dissesse-me “amar é a razão mais razoável”
E teus suspiros fossem doces despejos...

Dessem vazão pro improviso versejo
Navegar em tua boca á catadupa
Explicar o inexplicável amar que bordejo
Tu cachoeira que refestelo sem culpa...

Se do chão só riso se abrisse em bagatela...
Bem sagrado visse vida a mão humana
O caminho feito fé peregrina á Compostela
Ouviria a voz que emite e d’alma emana...

Por fim correria se o vento em alazão
Não embaraçasse a pelagem robusta
O tempo não fosse correria que vão...
A vida lima e limão q'me aurora e degusta...

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves

Arte: escultor inglês Robin Wight

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Nova Versão


Nova Versão

Estou aparelhada pro novo...
Me cancionando numa nova versão
Pronta pra começar de novo e de novo
Me repetir como um virtuoso refrão...

De novo estarei me gerundiando
Me guiando nas reflexões do luzeiro
Ouvindo a canção dos olhos do amado
Clamando ele no Olimpo meu cancioneiro

De novo estarei brandamente almada
Despindo minh’alma me vestindo de flor
No gerúndio sempre estarei apaixonada
Pela poesia viva que me faz Amor...

Então nessa nova versão que é nossa
Estaremos no mundo fazendo mais Amor
Eu e você num livro, “O poeta e a rosa”
Invadindo nossos sertões sem pudor...

Seremos dois em um naquele ponteiro...
“O poeta e a flor de lis”no seu momento
Você e eu margeando o mundo inteiro...
Amando do tempo ao sabor do vento

Nessa minh’ nova versão antiga 
Dir-te-ei meu feiticeiro és o mais lindo
Estarei mais amante serei mais amiga
Pra sempre tua, estarei teu mundo florindo...

Son Dos Poemas*Sônia M.Gonçalves


imagem do google

Meu Delito



Meu Delito 
Um sonho bonito
Estava escrito

No livro dos mistérios 
Que acordaria meus desejos 
Despertaria com seus beijos


Que viveria a magia do ser
Que seria escrita a poesia ao ler
Beberia a poção do encantamento

Ouviria a canção no sussurrar do vento
Dançaria nas nuvens do firmamento
Simplificaria tudo em ventura

Viveria você e te amaria com loucura...
Com ternura tu surgirias em mim
Cem censura seria meu diamante marfim

Estava gravado no infinito
Maktub assim estava escrito
Que seria meu crime pecador
Meu delito você eterno amor...

Son dos Poemas 

Além dos Meus Horizontes



Além Dos Meus Horizontes

Há sempre pernas e pontes aparentes
Uma linha sem sequências em sóis crescentes
Um amor sem experiências coniventes
Á míngua... Línguas bocas e dentes...


Fontes proibidas de receber presentes
Fez-se um amor e sem cerimônias 
Mil saudades sem rompantes
Sem sonhos só versos de insônias...

Um amor com mil facetas
Como uma ferrugem que corrói
Sem doer à alma dói...
Sem querer as lágrimas são ofertas.

Camufladas como facção sem seguidores
Seduzidos em seda de amores com razão 
Ser inteiros em ser metade sonhadores
Denominadores comuns de uma atração.

Na verdade vago em amor que me veste
Meus cabelos esvoaçam em vento norte e leste
Voo alto em céu pujante deitando na rede
Moro na fonte que jorra água e morro de sede...

Sem pudores vejo teus olhos me despirem
Calo a boca com um beijo caliente
Uso todo meu feitiço de amor inerente
Minha essência... Em seus poros até que transpirem.

Son Dos Poemas

Universo cor de rosa



Universo Cor De Rosa


Tem cheiro de prosa, mas é poema...

Tem gosto de certeza, mas é dilema...

Tem cheiro de rosa, mas é alfazema...

Se for cor de rosa não tem problema




Sendo poção de feitiço só pó de jurema

Se lábios for flor e mel é lenda Iracema

Liberdade é metade então tem algema

Se a culpa é das estrelas é poema é cinema




Se acaso é o que te aclara faltará gema

Sê pétala ser cor de rosa terá outro tema

Para falar do universo cor de rosa vermelha

Unir e versar as palavras pra acender a centelha




Desfilo meu ar cor de rosa choque corada

Corando a face ao lembrar cada toque calada

Espanto meu rubor com frescor de leque

Num tempo desgovernado sem freio sem breque




A palavra é o verbo e o verbo é amor

E o vento não eleva, mas pode levar a dor...

O som era The Beatles e o vento levou

Mas o sonho virou mito e nunca acabou...




Hoje só por hoje me visto de sonho inspirador

Rasgo o feitiço do tempo e seduzo o sedutor

Hoje só por hoje te farei meu sempre feiticeiro

Serei o nevoeiro que te liberta e serás meu por inteiro




SÓ Poesie

Pela Manhã



Pela manhã

Em plena manhã as melhores coisas me veem 
A inspiração sempre e como maçã também...
Pela manhã é quando os passarinhos me acordam
O vento me acaricia com poesias que me dobram


Pela manhã sinto teu gosto de aventura
Lembro que sonhei contigo e fizemos loucura
Que tentei esquecer-te, mas não consigo...
Relaxo e penso te abrigo comigo...

Logo pela manhã com a boca de hortelã
Lembro teu gosto bom de paraíso com avelã
Meus desejos conto ás paredes com grafiato
Querer teu sabor proibido no meu céu e palato...

Pela manhã ao atravessar a rua te vejo...
Ao pisar no solo da lua no meu sonho te beijo...
Pergunto ao céu lunar... Onde estará meu amor?
A resposta vem num beijo no bico do beija flor

O eco mais bonito vem do infinito verbo amar...
A voz que me pergunta onde é que você está?
Sou eu quem responde então tá...
Beijo seus lábios então e sinto me enfeitiçar...

Há magia nas manhãs clarividentes...
Abraçar a felicidade com unhas e dentes
Gostoso é saber o cheiro do azeite das oliveiras 
Sentir o calor da terra e se untar de besteiras...

Son Dos Poemas 

Amor Bandido



Amor Bandido

Te rouba os sentidos 
De repente por encanto
Sem causa por acaso é teu espanto
Te rouba os sonhos mais lindos


Sorrindo com o olhar te arrebata
Te ilumina feito luzes da ribalta
Em qualquer canto te assalta 
Atravessa teu coração como estaca

Se destaca por ser bandido
Nunca fica arrependido
Sequestra seu coração carecido
Barganha um resgate indefinido

Corre perigo te oferece amor bandido
Quando te toma um beijo atrevido
Furtivo acaricia teus bons sentimentos
Querer é poder então rouba teus pensamentos

Amor bandido que te oferece prazer
Faz ter suar frio e em silêncio gemer...

Son Dos Poemas

SÓ Poesie

Amor Declarado


Amor Declarado

Mágico é nunca esquecer sua essência...
Lembrar sempre mais do que se pensa
Ter o nome seu soprando o vento com frequência
Na imaginação caminhar na garoa densa.


Segurar nas mãos e sentir o coração
Beijar o ar e respirar sentir aportar o verão
Amor... Luar cheiro de sensação
Romance... Outono estação.

Amor que sinto e me faz escrever...
Sempre e em cada verso você reviver
Partir sim, mas deixar o sol pra te aquecer
Para que nunca fosse possível me esquecer.

Sempre que uma onda de calor te afligir
Lembrar-se-á quanto sentido faz amor em sentir
Intuirá o mar, oceano de paixão, os anjos...
Lembrar-se-á da canção, toques e arranjos...

Nota musical dedilhada e tocada
A melodia mais linda de amor por nós inspirada
Meu amado... mais lindo e eterno amor...
Perceba aqui na declaração pele e flor.

Passe o tempo que passar... Tenha sol ou se luar
Jamais se esquecerá do espanto e brincadeira
Das delícias e do prazer... Só o ser pode saber
Todo amor em nós faz-me atrever...

Copiar...Você!
Amor!
Sua eterna... rubra flor.

Son Dos Poemas

domingo, 18 de dezembro de 2016

Descentralizar


Descentralizar

Por carecimento
careço descentralização
não ser foco de qualquer pensamento
não praticar automutilação

A discrição sempre me fez salutar
minh' melhor ousadia é ousar
pensar alto roubar sua atenção
tirar a roupa num close pura sedução

Ando feito um coiote andarilho sozinho
num ambiente mutante eu passarinho
sô das planicies lá dos lagos e rios
posso ser sereia ou uma loba no cio

Centro das atenções se pedir a ocasião
o tempo não tem de mim detenção permanente
nem a cadeia alimentar é minha prisão
meu insinuante sorriso é sol reagente

Minh' aquiescência com tua alma é fulgor
luz e cumplicidade pelo instante contigo
durante o tempo todo meu louco amor
me lembra um livro de bolso bem antigo...

Son Dos Poemas * Sônia m.Gonçalves

O Feitiço Estava



Feitiço Estava

Estava no ar que os pulmões filtravam contido...
No doce da brisa recém-amanhecido 
Estava no conteúdo da poesia 
No aroma d’ livro do poema que escrevia...

O feitiço estava contido na bruma...
No aconchego no banho d’espuma
Na chuva fina cuja paisagem molhava
Nas pegadas poéticas que na vereda marcava...

O feitiço estava no conjunto do dia que raiava
No olhar de melancolia que o vento soprava
No cântico dos Anjos que o tempo dobrava...
Estava no cheiro que temperava natureza viva

Exalava nas narinas perfume matizes e alvores
Na conjugação sem direção do amor em cores
Nus estávamos com a alma em desapego...
Talvez o feitiço estivesse no gosto de pêssego...

Na avidez dos desejos insaciáveis de dançar...
Na sangria que teríamos que desatar
Nas tantas estrelas do nosso brilho no olhar
O feitiço estaria nos sonhos compatíveis com o luar?

Estaria na incompatibilidade do momento
No sonho mais bonito no infinito escrito...
A magia estaria nas roupas atiradas ao léu...
Ou seria no poder de flutuar e tocar nuvens no céu...

O feitiço estava lá de presente...
É só fechar os olhos e sentir o que sente...

Son Dos Poemas 
*Sônia M.Gonçalves