domingo, 30 de abril de 2017

Estado de Borboleta



Estado de Borboleta

Todo dia um novo rito...
O primeiro do terceiro ciclo
Meu estado de crisálida figurado
Á pálida manhã de um outro estado...

Sem casulo pra me abrigar
Senhora dona do meu aluar
Sô eu mesma em três tempos...
Permaneço em ti nesse momento

No pretérito do futuro em algum lugar
Na orla dos olhos pensativos
Nos desejos primitivos
Na ponta dos dedos meu enredo...

Minha brigada é guerra constante
Minha vontade tem asa volátil 
A briga é meu continente de rimas
O apoio é supremo vem lá de cima

Vagueio em contingentes ao luar
Caminho ás circunstâncias volantes
Conforme a variante do som sô mutável
Tudo me parece moldável clichê

Hilário é ouvir o papagaio cantar ópera aqui...
E pensar que meu clichê é amar você aí...

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves
Postar um comentário