quarta-feira, 17 de maio de 2017

Amor Dorido



Amor Dorido

Existe sempre dor num grande amor
Embutido no afastamento involuntário
No amor abrupto plantado em definitivo

Nos olhos vivos cristalizados de orvalho
Amor é tão dorido quando bate na alma
Essa chora feito uma Florbela Espanca

Aflora feito fértil canteiro a dor suplanta
Planta em si esperanças amarelecidos girassóiss
A garganta emperra e o pranto decanta nós

Se encanta como flor do solo regurgitada 
Dos pulmões da terra do diafragma que vibra 
Da contração dos órgãos, músculos e fibras

Equilíbrio absoluto dos desejos que esparramam
Amor é verbo conjugativo todo dia se declama
Inútil é tentar definir amor com substância

Amor não cabe no palavrear quando se ama
Tão imenso não cabe no diâmetro do mar
Amar é ilusão de graça, se graça expressão Amar

Cabe por dentro do elemento do pensamento indiscreto
É conjectura apenas tema é eco poema poético... 
É miragem à lua plena do álgido universo...

Crisálida em crisântemo no fio do vento
Invólucro revestimento d’ alma embira de pupa
Efeito borboleta que voa conforme o tempo

Penso, Amor é metamorfose florente sem culpa...
É intoxicação de essencismo pela essência da fruta
Amor é surreal dentro de um ideal é vidro e cicuta

Amor é sonho secreto repartido, é líquido, é sólido ingerido...
Amor é remédio, almado, tomado irremediavelmente dorido...

Son Dos Poemas*SônaMGonçalves
Postar um comentário